DIA DA MULHER: primeira presidente nacional da SSVP comenta caminhada

0
Na foto, Ada Ferreira quando esteve presidente do CNB. Atualmente, ela é representante da SSVP no Conselho Nacional da Família Vicentina e participa da Conferência São Cassimiro, em Belo Horizonte (MG)

Quem entra na sede do Conselho Nacional do Brasil da Sociedade de São Vicente de Paulo (CNB/SSVP), e vai até a sala de reuniões, se depara com uma galeria composta por fotos dos ex-presidentes nacionais. São 16 imagens ao todo (a do confrade Cristian Reis será inserida ao final do mandato dele). Além de conhecer todos os presidentes que passaram pela instituição, é interessante observar a predominância masculina. De 1878 a 2009, apenas homens ocuparam o cargo mais elevado da SSVP brasileira. Mas no final do painel, vem a representatividade feminina. Após a foto do confrade Nelson Antônio de Sousa (2005-2009), o último a integrar a sequência masculina, está a fotografia da consócia Ada Ferreira, a primeira mulher a presidir o CNB. Depois dela, outra representante do sexo feminino a sucedeu, a consócia Emília Fernandes Figueiró Jerônimo (2013-2017).

Ada foi presidente nacional da SSVP entre 6 de setembro de 2009 a 8 de setembro de 2013. Ela conta que decidiu se candidatar não simplesmente pelo fato de quebrar a hegemonia masculina e, sim, por acreditar que poderia contribuir com a instituição. “Desde 1997, eu fazia parte do CNB, nas condições de coordenadora regional, coordenadora nacional da juventude e 1ª vice-presidente. Quando iniciou o processo eleitoral, muitos vicentinos me motivaram a candidatar-me. Só decidi nos últimos dias, após muita oração, diálogo com minha família, amigos vicentinos e membros da Família Vicentina. Entreguei minha vida nas mãos da Divina Providência; fiquei em paz e feliz”, relembra.

Quando foi fundada em Paris, a SSVP era uma instituição totalmente masculina. Com o passar dos anos, passou a aceitar as mulheres. A eleição da consócia Ada é um feito histórico para a instituição no Brasil. Mas para ela, não é motivo de vaidade. “O primeiro sentimento é de enorme responsabilidade. Ter a oportunidade de presidir uma instituição como a SSVP é uma grande responsabilidade. Mas por outro lado, fui tomada por sentimentos como esperança, fé, gratidão, serviço e entrega, determinantes na minha caminhada”.

Ela afirma que o fato de ser mulher nunca a limitou ou dificultou os trabalhos, e que os vicentinos sempre a respeitaram e confiaram nela.

OUTRO FEITO HISTÓRICO

Além do título de primeira presidente nacional da SSVP, a consócia Ada conseguiu outro feito histórico na instituição. Ela é a primeira mulher a disputar a eleição do Conselho Geral Internacional (CGI), em Paris, em 2016. Ela não venceu, mas se diz satisfeita pela participação. “Acredito que os cargos de liderança foram frutos da minha atuação na SSVP e na Família Vicentina. Em nenhum momento assumi um cargo por desejo pessoal”.

ENCORAJAMENTO FEMININO

Às consócias que têm medo de assumir encargos na Sociedade de São Vicente de Paulo, Ada deixa um recado: “vivam intensamente o presente! Vivam o presente da melhor forma possível! Sejam corajosas, audaciosas, espalhem amor, esperança, fé, determinação e motivação. Acreditem no potencial que cada uma de nós temos. Acreditem que vivendo o presente da melhor maneira possível, transformamos a realidade onde estamos inseridas”. Complementa. “Desta forma, estamos colaborando para que o mundo que nos cerca esteja em harmonia e contribuindo para a tão esperada paz universal”.

FELICITAÇÕES

Em nome da consócia Ada Ferreira, o Conselho Nacional do Brasil parabeniza todas as mulheres relacionadas à SSVP: consócias, assistidas, funcionárias e benfeitoras.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta