Depoimentos mostram a importância da SSVP nas vidas dos membros

0
Consócia Ana Luiza

 

Na semana passada, o Departamento Nacional de Comunicação da Sociedade de São Vicente de Paulo (Decom/SSVP) publicou a seguinte pergunta no site de relacionamentos Facebook: o que mudou na sua vida depois de ingressar na SSVP? A postagem alcançou quase 9 mil pessoas, obteve cerca de 300 curtidas, 130 compartilhamentos e cem comentários.

Sete delas serão divulgadas aqui no site do Conselho Nacional do Brasil (CNB). As histórias são lindas e muito inspiradoras. Por isso, após conferi-las, vá até à página do Facebook e conheça outros depoimentos também emocionantes.

 

“Perdi minha mãe aos 8 anos de idade. Meu pai ficou com 10 filhos pra criar, todos menores de idade. Foi tão inesperada a morte de mamãe, que meu pai se viu obrigado a dar todos os filhos com menos de 10 anos. Fomos criados em famílias diferentes e Estados diferentes. Particularmente, passei por muitas experiências positivas e negativas. Recebi amor, carinho e fui maltratada. Mas hoje tenho 52 anos, sou casada, tenho um filho, sou advogada há 22 anos e há 1 ano sou vicentina, com muito amor. Pois vivi na pele a pobreza, o abandono, a falta de carinho, a violência. Mas Jesus sempre esteve ao meu lado me colocando perto de pessoas maravilhosas, que me ajudaram a chegar onde cheguei. E serei grata para o resto da vida. Por isso, sinto tanta necessidade de servir aos necessitados que têm fome, falta de carinho, de atenção e de oração – Ana Luiza Assunção

 

“Eu reclamava demais da vida. Hoje, não consigo reclamar de nenhum problema que eu passe. Com o trabalho vicentino, vi que existem pessoas com problemas maiores e que continuam sorrindo. Isso me dá forças para agir diante dos meus problemas” – Nilton Farias, Conferência São Domingos Sávio, Barra do Garças (MT)

 

“Eu entrei para as fileiras vicentinas em 1997, com 11 anos de idade. Naquele momento, vi que a SSVP poderia suprir uma falta na minha vida, que era a morte de meu pai. Realmente, eu não estava enganado. A SSVP me deu muito mais que suprir a ausência, me deu amigos espalhados pelo Brasil e pelo mundo, me deu respeito, aprendi admirar as pessoas por detalhes, me deu o grande amor da minha vida, minha esposa consócia Eloá. Hoje, posso dizer que sem a SSVP não existe o Pedro. Sou vicentino e vivo feliz. Quem me conhece sabe do que estou falando!” – Pedro Leandro Marcondes Ferreira, Conferência Nossa Senhora de Guadalupe, cidade de Ponta Grossa (PR)

 

“A SSVP me ajudou a ser mais santo, buscar a Deus na pessoa do Pobre. E também ajudar as pessoas a serem mais santas” – Alex Castilho, Conferência São José, Paraguaçu (MG)

 

“Sou vicentino há 7 anos e 7 meses. Minha vida mudou muito desde quando conheci a SSVP, pois a caridade tem me tornado um cristão melhor a cada dia, fazendo com que o sofrimento do próximo passe a ser meu sofrimento também” –  Renato Figueredo, Conferência Nossa Senhora da Conceição/ Conceição do Jacuípe-BA

“Conheci a SSVP por meio de uma situação muito triste. Sempre tive bons empregos e nunca necessitei de ajuda. Mas tinha um problema sério que era o álcool e as drogas. Em 2011, eu enfartei aos 39 anos de idade. Comecei a passar necessidades com minha família. Nessa época, eu não conhecia Deus. Fui batizado quando criança, mas nunca fui incentivado a participar da Igreja por minha família. Foi quando um amigo me ligou e perguntou se poderia mandar os vicentinos irem até minha casa; falei que sim, mas sem acreditar muito. Um certo dia, chegou em minha casa um casal dizendo ser vicentino e que iria me ajudar. Eles começaram as visitas, ajudando-me com a bolsa e leituras espirituais. Às vezes, eu os atendia; outras me escondia, mas eles nunca desistiram de mim. A situação melhorou e falei que não precisava mais da bolsa. Sendo assim, resolvi ir à sede dos vicentinos agradecer a ajuda e lá fiquei. Hoje sou confrade! Minha esposa é consócia. Adoramos a SSVP” – Mauro Alves Ribeiro, Conferência São João Bosco, São José dos Campos (SP)

“Antes de entrar para a SSVP, eu era uma menina metida que nem sabia o que era caridade. Eu era distante de Deus, desprezava as pessoas com condições financeiras inferiores às minhas. Não era agradecida por nada que eu tinha; reclamava da minha comida, das minhas roupas e de tudo que eu tinha. Fui convidada a participar de uma CCA e me apaixonei. Naquele lugar, eu aprendi o que era caridade, o que era Deus; eu encontrei amizades verdadeiras. Hoje, eu percebo que antes de entrar para a SSVP eu era um ser humano horrível, e hoje sinto a presença de Deus em tudo, em cada família assistida. Aprendi que não sou diferente de ninguém e que, aos olhos do Pai, somos todos iguais” – Thays Oliveira, Conferência São Cosme e São Damião, São João del Rei/MG 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta