Assistidos pela SSVP fazem curso de inglês

0
312
Voluntários e assistidos durante a primeira aula do Curso de Inglês

 

Tarde de sábado em Jacareí, interior de São Paulo. Jovens e adultos ensaiam palavras em uma língua que não é português. Aos poucos, a pronúncia vai se aperfeiçoando e, com ela, surge a esperança de dias melhores. Na cidade, o inglês tem sido usado pelos vicentinos como meio de diferencial competitivo para o mercado de trabalho e, por conseguinte, promoção social dos assistidos.

O ‘Projeto Curso de Inglês’ foi idealizado pelo confrade Jailson Severino da Silva, membro da Conferência Santa Catarina. Ele queria uma ação efetiva para a retirada de jovens e adolescentes – entre 15 e 18 anos – da situação de pobreza. Todos são de famílias assistidas pela Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) local. Jailson poderia ter pensando em alguma ação voltada para o trabalho braçal, cuja capacitação técnica requer menos tempo, no entanto, este tipo de classe trabalhadora costuma não ser bem remunerada. E não era isso o que ele almejava. “O que eu quero para mim é o mesmo o que quero para os meus assistidos. Desejo que eles tenham boas oportunidades, conquistem um trabalho legal que possa render-lhes um bom salário”.

As aulas de inglês são ministradas na sede do Conselho Particular de Jacareí pelos próprios vicentinos e por voluntários, uma vez por semana, de 14 às 17h. O curso começou sábado (10) e terminará no final do ano. A expectativa é de que os alunos alcancem o nível intermediário de inglês. “Eles vão conseguir assistir a um filme, entender uma música e terão no currículo um diferencial”, esclarece Jailson.

A escolha do público-alvo de jovens e adolescentes se justifica em uma proposta dos vicentinos de Jacareí em oferecer uma oportunidade, evitando assim que os menores se envolvam com drogas ou criminalidade.

ENGAJAMENTO VICENTINO

 Para que o projeto dê certo, a comunidade vicentina de Jacareí está envolvida. As Conferências pagam o transporte dos alunos e os Conselhos Particulares ajudam com o lanche. Os materiais, a exemplo de livros e cadernos, foram doações.

O projeto conta também com uma assistente social vicentina voluntária e atendimento de psicólogos cedidos pela Universidade Paulista (Unip).

Fazem o curso este ano 10 alunos e a expectativa é de que uma nova turma seja iniciada em 2019.

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL. Sugestão de pauta: consócia Renata Mancini

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY