Superior-geral da Congregação da Missão escreve carta pelo Dia de São Vicente

Em texto, padre Tomaz Mavric pede que os membros da Família Vicentina reflitam a mística do ‘patrono das obras de caridade’

0

São Vicente de Paulo é considerado o ‘patrono de todas as obras de caridade’ do mundo. As ações dele levaram a um serviço efetivo pelos Pobres na Europa e em outros continentes. Mas na festa pela Memória Litúrgica de Vicente, celebrada nesta terça-feira (27), a Congregação da Missão quer fazer com que a Família Vicentina também veja que o santo teve um lado místico muito importante, voltado à oração.

O padre Tomaz Mavric, superior-geral da Congregação da Missão (ordem dos padres vicentinos fundada por São Vicente), divulgou uma carta celebrativa à data, em que apresenta Vicente de Paulo como um ‘Místico da Caridade’. Para fundamentar a teoria, ele pediu que três padres lazaristas escrevessem sobre o tema.

De acordo com o padre Hugh O’Donnel, o santo era um homem de intensa ação, no entanto, tudo o que fazia era motivado pela experiência mística da Trindade (Deus, Jesus e Espírito Santo) e da Encarnação.

Já o padre Robert Maloney explica que as pessoas devem entender que místicos não são apenas indivíduos que vivem experiências religiosas extraordinárias. “A mística de Vicente era completamente diferente. Ele encontrava Deus nas pessoas e nos acontecimentos. Suas ‘visões’ eram profundamente cristológicas. Ele viu Cristo nos traços dos Pobres. Para usar uma expressão da tradição jesuíta que se tornou popular nos documentos vicentinos, ele era um ‘contemplativo na ação’”. Sobre as orações do ‘patrono das obras de caridade’, Maloney explica: “Para Vicente, as dimensões verticais e horizontais da espiritualidade eram indispensáveis. Ele considerava que o amor de Cristo e o amor dos Pobres eram indispensáveis. Exortava continuamente os seus discípulos não somente a agir, mas também a rezar, e não só rezar, mas igualmente a agir”.

Por fim, padre Thomas Mckenna acredita que Vicente de Paulo teve a experiência mística quando se relacionou com o outro. “(…) um místico é aquele que escuta e se deixa aprisionar no amor de Deus pela criação, e depois se compromete ao mesmo tempo a reconhecer este amor e a transmiti-lo ao mundo. Para Vicente, este amor de Deus (ou melhor, o ‘fato de amar’) se revela particularmente nas pessoas que são pobres e marginalizadas”.

Ainda como forma de celebrar o Dia de São Vicente, o superior-geral da Congregação da Missão orienta que os membros da Família Vicentina procurem estudar sobre a vida do santo e rezar por meio dos textos relacionados a ele. “Desejo a cada um de nós uma maravilhosa celebração, ao mesmo tempo quando continuamos a nos sustentar mutuamente na oração”.

Leia aqui a carta do padre Tomaz Mavric

O documento foi traduzido para o português e encaminhado à equipe de reportagem do site SSVPBRASIL pelo padre Joelson Sotem (da Congregação da Missão), coordenador nacional da Família Vicentina.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta