Primeira semana de 2018. O ano começa cheio de possibilidades e expectativas de ações efetivas pela Mudança de Estruturas, a promoção social nas vidas dos Pobres. Em enquete publicada no site SSVPBRASIL, segundo dados apurados na manhã desta quarta (3), 59% dos votantes apontaram que a prioridade para os próximos 362 dias é garantir que as famílias assistidas se desenvolvam financeiramente, tornando-se independentes da cesta básica oferecida pelos vicentinos. Para que o projeto saia do papel, é importante ter metas claras que vão gerar os resultados esperados, explica o psicólogo Bruno Morais Lopes. Ele trabalha com famílias assistidas pela Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) em Arcos (MG), onde incentiva que as mesmas sejam promovidas.
É nesta época o momento ideal para que os vicentinos tracem as metas ao lado dos Pobres, já que o Ano Novo traz a sensação de renovação. Apesar das dificuldades que estão por vir, dentre elas a continuação da crise financeira e política, os confrades e consócias não devem perder a esperança, pontua o psicólogo. “Sejamos realistas: o vicentino tem um ano difícil pela frente. Mas isso não pode nos impedir de sonhar, de realizar, de encontrar novas parcerias e buscar na fé forças para seguirmos em frente e tornarmos nossas famílias melhores. Acredito que precisemos justamente disso: PARCERIAS”. Ao citar o versículo bíblico ‘Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome (Mt 18.20)’, Bruno enfatiza: “é nossa norma cristã ser comunidade, ser unidade, mesmo sendo muitos. Ninguém consegue grandes ações sozinho, agindo por conta própria. Sejamos abertos à coletividade, ao bem comum, convidemos as pessoas para nos ajudarem, para serem parte da obra maior do amor. Sobretudo, entre os mais jovens, a igreja e tudo o que se ramifica dela depende de nós, de nossa força, de nossa persistência e de nossa união. As pessoas às quais ajudamos precisam compreender o mundo que as cerca, não só pelas suas dificuldades, mas pelas possibilidades que ele apresenta”.

ESTRATÉGIA

Psicólogo Bruno
Psicólogo Bruno

Como já é tradição no Ano Novo as pessoas criarem metas para serem alcançadas durante os próximos 365 dias, a equipe de jornalismo do site SSVPBRASIL propõe que os vicentinos façam o caminho um pouco diferente. Além das expectativas pessoais, os confrades e consócias devem colocar no papel aquilo que esperam fazer pela promoção social das famílias assistidas.
O psicólogo Bruno dá uma ajudinha neste processo. Ele elencou quatro passos importantes para traçar as metas e efetivá-las:

1) Entendimento: o que determinada família passa, quais suas necessidades, anseios e desejos; é ir de encontro ao outro e ver a partir de seus olhos o que é o mundo que lhe permeia.
2) Planejamento: o que lhes falta para alcançarem a promoção, para serem melhores e terem uma vida plena; o que nos cabe fazer para que isso ocorra, principalmente ponderar sobre o que realmente pode ser efetivo.
3) Ação: vamos a campo, procuremos parcerias e sejamos efetivos em nossas atitudes e ações. Haverá muitas correções de caminhar aqui, por isso é sempre importante saber que muitas vezes precisaremos voltar ao passo anterior.
4) Premiação: parabenizemos a nós mesmos e à família por cada passo conquistado, mesmo que pequeno, isso motiva e dá forças para seguir em frente. É importante que o outro sinta-se beneficiado e principalmente capaz! Muitas vezes é preciso de alguém de fora para reconhecer-lhe isto.

DIGA NÃO AO FRACASSO

Pesquisas mostram que cerca de 80% das listas de objetivos de Ano Novo não se concretizam e acabam sendo esquecidas antes do Carnaval. Mas Bruno tem uma receita para que as metas de melhorias nas vidas dos Pobres não se percam. “Se preciso transformar a vida de famílias, às vezes, preciso começar de mudanças pequenas, seja com uma palavra amiga, seja com um convite para oração, seja mostrando simplesmente que estou ali caso ela precise. Não é incomum vermos famílias que nem sonham mais porque se cansaram de insistir, porque sempre perderam. É preciso começar a semear esperança”. Completa. “Costumo dizer em outras oportunidades que a caridade precisa ser muito inteligente, organizada, efetiva. Devemos ter planos de ação específicos para cada família, pedir todo tipo de ajuda que se fizerem necessárias. Sobretudo, precisamos nos dedicar mais, insisto nisso. Precisamos olhar para a frente e ver possibilidades, mas que só serão atingíveis se eu me dedicar diariamente, em cada ação, em cada gesto. É compreender que nada mais somos do que reflexo de nossos próprios esforços. Se tenho comigo essa verdade, ela pode ser passada adiante, então metas serão plenamente alcançáveis”.

PASSO A PASSO

Para criar uma lista de metas de sucesso, detalhe “tudo o que aquela família é atualmente, suas nuances e aspectos positivos e negativos, o que ela tem, o que ela quer, o que ela precisa”, recomenda Bruno. O próximo passo é verificar recursos, tempo e possibilidades de parcerias disponíveis. Em seguida, os vicentinos devem caminhar lado a lado da família, sempre almejando que ela possa caminhar sozinha no futuro mais próximo possível.
O psicólogo conclui. “As lideranças vicentinas precisam se renovar, se reinventar, até mesmo ter mais amor no que se propõem a fazer. O mundo evolui, a forma das pessoas se relacionarem e agirem também evolui. Então, a Igreja e os vicentinos precisam também dar seus passos rumo a novas propostas, sem nunca fugir de suas origens. É difícil? Claro que é, sempre vai ser, mas Jesus foi um homem revolucionário, à frente de seu tempo, e desafiou o povo daquela época. Não é nosso direito ser menos que isso”.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta