Vicentinos trocam férias por Missões

0
845
Missões no Rio Grande do Norte. A terceira da esq. p. dir. é a consócia Junia Dabia

Nada de dormir até tarde ou passar o dia em frente à TV. Um grupo de confrades e consócias tem aproveitado este recesso de julho para viver Missões em comunidades carentes. Eles participam das Férias Missionárias, uma ação da Juventude Mariana Vicentina (JMV), realizada em Baião (PA), Curitiba (PR) e Jandaíra (RN).

As Férias Missionárias começaram no dia 22 e vão até sábado (27), sob o tema “Ser tudo para todos”, fazendo menção às cartas de Paulo narradas em Coríntios 9, 22. E com o lema “Faça-se em nós!”. Durante as missões, os jovens fazem visitas às famílias carentes.

O confrade Leonardo Magalhães está em Colombo, região metropolitana de Curitiba. Ela conta que durante a semana tem convivido com membros da JMV, seminaristas da Congregação da Missão (CM) e Filhas da Caridade (FC). “Estamos realmente reunidos enquanto Família Vicentina, em um momento muito rico de fortalecimento dos vínculos. É nisso que apostamos. A JMV tem muito a acrescentar à SSVP, a SSVP tem muito a acrescentar à JMV, e somar com outros Ramos”.

Confrade Leonardo

Antes de visitar as famílias, os jovens missionários recebem formação sobre como devem fazer as Missões. Para Leonardo, as atividades são uma rica experiência. “Nós ganhamos em nossa espiritualidade, em nosso Carisma… Tudo tem sido muito válido, intenso e gostoso. Conhecer outros jovens que estão engajados no Carisma Vicentino nos motiva a seguir a missão”.

No RN, consócia enfrenta a falta de água

Além de levar palavras de motivação e esperança para as famílias visitadas, as Férias Missionárias têm sido uma oportunidade de ver os dramas enfrentados pelas pessoas mais carentes do país. A consócia Junia Dabia está em uma comunidade denominada Tubibal, um povoado a 15 km de Jandaíra (RN). Lá há escassez de água. O pouco líquido que tem é salobro. Falta transporte e sinais de telefone e televisão com qualidade.

Em vez de se lamuriar, os moradores de Tubibal juntam forças para vencer os desafios diários. “A precariedade faz com que a comunidade viva sempre unida. Levarei para a minha vida a importância da boa conversa, de olhar nos olhos, de dedicar o meu tempo ao outro. E que sempre é possível viver com pouco, é possível viver tomando banho frio, dormir sem travesseiro e sem internet”, encerra Junia.

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

 

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY