Vicentinos revigoram missão de serviço, disponibilidade e amor

0
1771
Coordenação missionária do CNB com os padres Alexandre e Joelson

Hoje fazem seis dias que a D. Clarita Santos morreu vítima de um câncer no estômago. Ela não teve tempo de ver a coroação do trabalho da filha, Margarete Santos e equipe, que conseguiram promover o III Encontro de Formação Missionária Nacional. O evento começou na sexta (21) e se encerrou neste domingo, em Vespasiano (região metropolitana de Belo Horizonte-MG).

Consócia Margarete Santos. Mesmo de luto, ela fez questão de participar de todas as atividades do encontro

Clarita enchia a boca com orgulho para dizer que a filha dela era a coordenadora nacional do Departamento Missionário da SSVP. Não por vaidade, mas é que a dona de casa, de 80 anos, sabia da importância das Missões dentro da instituição. São os missionários que cuidam dos vicentinos afastados por motivos de doenças, visitando-os nas regiões por onde passam; eles divulgam o Carisma, mobilizando mais pessoas a ingressarem nesta rede de caridade; bem como tentam aproximar ainda mais a Sociedade de São Vicente de Paulo do clero, e buscar de volta aqueles membros que se afastaram da entidade por algum motivo pessoal.

O Conselho Nacional do Brasil (CNB) conta hoje com 48 missionários vicentinos. São homens e mulheres que desempenham voluntariamente as atividades descritas acima. O trabalho feito por eles, assim como qualquer outro, requer formação para se adequar às novidades dos tempos e à espiritualidade vicentina. É por este motivo que aconteceu o encontro de capacitação. Também participaram dele mais de 25 missionários de Conselhos Metropolitanos que têm o Departamento formado.

DESPOJAMENTO

O evento foi uma oportunidade de revigorar o ânimo para o trabalho a ser desempenhado nos quatro cantos do país. “Nós, missionários vicentinos, somos aliados no crescimento da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP)”, ponderou o confrade José Heitor Amorim, que integra a equipe de coordenação do Departamento.

O confrade Heitor lembrou que há muitas dificuldades na vida de um missionário – às vezes, eles precisam dormir no chão; tomam banho frio ou até mesmo convivem com a falta de água, percorrem grandes distâncias a pé – no entanto, segundo o vicentino, todas elas se tornam muito pequenas diante da alegria da visita a um membro que tanto participou da SSVP e hoje não pode mais ir às reuniões porque está doente, ou de saber que contribuiu para o ingresso de novos confrades e consócias nas fileiras da SSVP.

Um dos pontos altos deste domingo foi a aprovação do Manual de Diretrizes Missionárias. O material vai nortear os trabalhos do Departamento em todo o país e deve ser construído com o apoio de todos os membros. Mais informações serão divulgadas em breve.

As atividades deste encontro foram encerradas antes do almoço. Agora, os membros voltam para casa com o compromisso de fazer das vidas deles um ato de Missão em favor dos vicentinos, dos Pobres, enfim, em favor do próximo.

De onde D. Clarita estiver (personagem citada no início da matéria), ela fica com a certeza de também ter cumprido a Missão dela na terra em plantar a semente da caridade no coração da filha, que hoje lidera o Departamento Missionário, e este Departamento, por fim, vai semear o amor, o serviço, a disponibilidade e a gratidão por onde for.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY