Romaria: confira como foi a festa regulamentar em homenagem a Antonio Frederico Ozanam

0

multidãoUma das atividades mais aguardadas pelos romeiros vicentinos era a Festa Regulamentar, que aconteceu hoje pela manhã. O evento, além de homenagear o confrade Antonio Frederico Ozanam (fundador da Sociedade de São Vicente de Paulo-SSVP), é a oportunidade que os confrades e consócias têm de renovar o compromisso de servir aos Pobres. O diferencial de 2017, quando se comemoram os ‘400 anos do carisma vicentino’, é que participaram das celebrações membros da Família Vicentina (instituições criadas e/ou inspiradas em São Vicente de Paulo).

A apresentação da festa ficou sob responsabilidade de representantes dos Ramos (no Brasil, são cerca de 20 Ramos da Família Vicentina). A SSVP esteve representada pelo confrade Carlos Henrique David, da área do Conselho Metropolitano de São Paulo e ex-presidente do Conselho Nacional do Brasil (CNB). Apresentaram a festa ainda: Irmã Laura Aparecida (Irmãs Vicentinas de Gysegem), Irmã Cecília Maria Berti (Filha da Caridade), padre Arnon Longo (Congregação da Missão) e Irmão Agenor Lima (Religiosos de São Vicente de Paulo).

Além de valorizar a Família Vicentina, a integração entre os Ramos é uma forma de somar esforços na erradicação da miséria, agindo dentro do biênio temático da SSVP: ‘Contra as pobrezas, agir juntos’. “Somando forças somos mais efetivos nos trabalhos de Mudança de Estruturas (promoção social). Peço à Mãe Aparecida, que nos ajude a sermos fiéis e comprometidos neste projeto de Mudança Sistêmica; que possamos fazer de fato a diferença na vida dos menos favorecidos”, comentou, emocionada, a presidente nacional da ‘Sociedade’, consócia Emília Fernandes Figueiró Jerônimo que, ao lado do confrade Luiz Alberto Barbosa, fez as orações iniciais. Ele é o presidente do Conselho Metropolitano de São José dos Campos, que gerencia administrativamente as atividades vicentinas na cidade de Aparecida (SP) e região.

O coordenador da Família Vicentina no Brasil, padre Joelson Sotem (Congregação da Missão), também enalteceu a importância do agir em conjunto, além de ler uma carta enviada pelo padre Tomaž Mavrič, que é considerado hoje o sucessor de São Vicente, por gerenciar a ordem fundada pelo santo. O religioso relembrou no texto que a exemplo dos vicentinos brasileiros, São Vicente e Ozanam tinham também o hábito de fazer peregrinações a Santuários Marianos. Em forma de oração, padre Tomaz pediu. “Que se reavive em vocês o espírito de Jesus Cristo e, imitando a São Vicente e a Frederico Ozanam, deem as mãos a Maria, nossa Mãe, não só os membros da Sociedade de São Vicente de Paulo do Brasil, mas todos os membros desta maravilhosa Sociedade no mundo inteiro, a fim de que o amor, o respeito e o cuidado da vida sejam para todos uma tarefa comum”. (A CARTA É PUBLICADA NA ÍNTEGRA AO FINAL DESTA MATÉRIA).

Dentro do biênio temático ‘Contra as pobrezas, agir juntos’ houve uma palestra feita pela Irmã Carolina Mureb (Filha da Caridade). A religiosa aconselhou: “O nosso coração precisa estar com os Pobres e, não, ocupado com superficialidades e aparências, preocupado em aparecer em vitrines de vaidade. Vicente de Paulo recusou o conforto nos Palácios de Paris para ir de encontro aos Pobres e nós precisamos seguir os passos dele”. Aconteceu também uma apresentação de dança do grupo ‘Soldados de Cristo’, da área do Conselho Metropolitano de São Carlos (SP), e um breve show da Banda Arautos de Ozanam (Conselho Metropolitano de São José dos Campos).

A programação encantou a consócia Marilene do Nascimento, membro da Conferência Nossa Senhora da Salete, na área do Conselho Metropolitano de Bauru17742160_10207177657594503_115403954_n (SP). “É a primeira vez que venho a uma Romaria e estou apaixonada por tudo. Agora, voltarei à festa todos os anos”.

Mensagem do presidente internacional e renovação do compromisso vicentino

As atividades na manhã de hoje seguiram com a apresentação do presidente-geral da SSVP, confrade Renato Lima de Oliveira, o primeiro brasileiro a assumir esta posição em nível internacional. “Nós só entraremos no céu se trabalharmos pelos Pobres, porque são Eles quem vão abrir as portas do paraíso para nós. Sejam ativos em Conferências, Conselhos e Obras. Isto é ser um bom vicentino”, recomendou ele.

Logo em seguida, a consócia Emília chamou os presidentes de Conselhos Metropolitanos ao palco. Juntos, eles rezaram a renovação do compromisso vicentino, reafirmando que seguirão firmes na caminhada de servir aos Pobres.  

Carta do padre Tomaz aos vicentinos brasileiros

A graça e a paz de Jesus estejam sempre convosco!

Que todos os membros da Sociedade de São Vicente de Paulo recebam minha saudação e bênçãos nesta Romaria ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida.

Recordo com grande admiração que o próprio São Vicente tinha a devoção em peregrinar à Capela de Buglose, e expressar ali seus agradecimentos e necessidades à Santíssima Virgem. Igualmente, Frederico Ozanam peregrinou a diversos Santuários Marianos e exclamou: “Oh! Nossa Senhora! Deus recompensou a humildade de sua serva e, em troca de sua pobre casa de Nazaré, onde hospedastes a seu Filho, quantas ricas mansões Ele te deu de presente? ” (Pèlerinage au pays du Cid; en Melanges, ed. 1855 pp. 84-85).

Gostaria muito de estar nesta Romaria com vocês, e pedir aí as graças necessárias para celebrar os 400 anos do Carisma Vicentino, recordando as palavras de Jesus: “Eu era estrangeiro e me acolhestes” (Mt 25,35). A partir do espírito deste lema celebrativo, convido vocês a recordarem três peregrinações que Maria fez, a Mãe de Deus, e que dão um grande sentido à nossa vida cristã e vicentina:

– Maria, em peregrinação à casa de sua prima Isabel. Me recordo de modo especial como devemos sair ao encontro dos necessitados para estarmos com eles, ajudando-lhes e acompanhando-lhes no parto de uma nova vida, até que não sejamos mais necessários.

– O peregrinar da Sagrada Família a Belém para cumprir uma ordem do Imperador nos recorda os sofrimentos que passaram em busca de um lugar onde pudesse nascer o Salvador do mundo. Este dado nos abre à generosidade: nunca desprezar os Pobres, nem os abandonar à sua própria sorte. Neles,  pedem pousada e alívio Jesus, José e Maria.

– A fuga ao Egito: imagem de tantas famílias migrantes forçadas pelas circunstâncias a tratar de salvar sua vida da marginalidade, da pobreza, de graves perigos – dentre eles, o perigo da morte.

Esses três momentos têm em comum “A VIDA”. Foi aqui, em Aparecida, onde se proclamou a urgente necessidade de levar Jesus Cristo aos Pobres para que Nele tenham vida e a tenham em abundância (Jo 14,16). Neste peregrinar, Deus nos confere o cuidado da vida dos Pobres.

Que se reavive em vocês o espírito de Jesus Cristo, e imitando a São Vicente e a Frederico Ozanam, deem as mãos a Maria, nossa Mãe, não só os membros da Sociedade de São Vicente de Paulo do Brasil, mas todos os membros desta maravilhosa Sociedade no mundo inteiro, a fim de que o amor, o respeito e o cuidado da vida sejam para todos uma tarefa comum.

Peçam também que, por amor a Maria, o Senhor abençoe abundantemente a Família Vicentina com novas e santas vocações.

Minha gratidão e benção a todos vocês!

Com afeto de irmão em São Vicente

Padre Tomaž Mavrič (Congregação da Missão-CM)

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta