Plenárias regionais prezam pela formação e unidade da SSVP

0
553
Plenária realizada na Região III

Durante todo este ano, aconteceram plenárias nas Regiões às quais a Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) no Brasil está dividida. Todas elas tiveram uma pauta comum, acrescida de assuntos relacionados à área. Nesses encontros, trabalhou-se formação, espiritualidade e o ano temático ‘Mestres e Senhores’. “É soma para a SSVP: uma questão de organização e fortalecimento de nossas Regiões e dos vice-presidentes regionais”, avalia o confrade Cristian Reis da Luz, presidente nacional da instituição.

O presidente da SSVP está muito satisfeito com o resultado alcançado pelas reuniões, tanto que irá repetir o projeto em 2019. “Foi uma maneira de organizar e dar autonomia para os vices-regionais. Foi um ganho importante, porque organizou as reuniões. Antes, cada Região fazia a sua reunião sem uma pauta comum”.

A iniciativa também agradou os vice-presidentes regionais, conforme depoimentos a seguir:

 

“As plenárias vão de encontro ao próprio espírito fundante da nossa SSVP. Acredito que o trauma do desmembramento da primeira Conferência foi minimizado pela possibilidade destes encontros. O princípio fundamental da nossa existência é a base do fortalecimento dos vínculos de amizade. Dentre outros objetivos, estes encontros vêm fortalecer os vínculos de amizade e ampliar as discussões no caminho a seguir no cumprimento da nossa missão enquanto vicentinos no mundo” – confrade Orlando Inácio Gonçalves, vice-presidente para a Região I (que engloba os Conselhos Metropolitanos de Montes Claros, Diamantina, Belo Horizonte, Contagem, Divinópolis e Formiga)

 

“Esta iniciativa do CNB é muito interessante, pois aproxima o Conselho Nacional às bases, possibilitando integração, informações e formações. É uma oportunidade ímpar e, por isso, os vices-regionais e presidentes de Conselhos Metropolitanos precisam se organizar para mobilizarem o maior número possível de lideranças vicentinas locais e, assim, aproveitarem o máximo deste momento” – confrade César Custódio da Silva, vice-presidente da Região II (que engloba os Conselhos Metropolitanos de Governador Valadares, Caratinga, Ouro Preto, Barbacena, Juiz de Fora, Volta Redonda e Rio de Janeiro)

 

 

“São momentos para termos mais interação e conhecimento. Os vicentinos da região puderam ter o contato com a diretoria do CNB. Isso é muito bom porque aproxima e faz os membros se sentirem parte desta grande rede de caridade. Coletamos os anseios de cada um; as opiniões de cada um. Dentre os pontos positivos, destaco: a troca de experiência, o estar juntos, conversar e partilhar, e o acolhimento. Isso tudo que nos faz crescer e nos fortalece para, juntos, desenvolvermos a nossa missão de ser vicentinos” – consócia Aparecida Peteck,  vice-presidente da Região III (que engloba os Conselhos Metropolitanos de Mato Grosso do Sul, Maringá, Bauru, Curitiba e Porto Alegre)

 

“Possibilita mais entrosamento entre os CMs para que possamos chegar em um ponto ideal quanto aos assuntos relevantes desta caminhada vicentina. Regionalmente, abre espaço para mais debates e sugestões. Vejo também uma melhor participação dos presidentes e coordenadores de Departamentos, inclusive, de Centrais” – confrade Antônio Celso Lopes, vice-presidente da Região IV (que engloba os Conselhos Metropolitanos de São José do Rio Preto, São Carlos, Pouso Alegre, São José dos Campos, São Paulo e Jundiaí)

 

 

“Aproveitamos o encontro para uma troca de experiências, partilha de saberes e partilha de dificuldades que cada um enfrenta no seu dia a dia na missão vicentina. Com o encontro, pudemos manter a integração e unidade como família” – consócia Márcia Moreschi, vice-presidente da Região V (que engloba os Conselhos Metropolitanos de Brasília, Anápolis, Goiânia, Patos de Minas e Uberaba)

 

 

“As plenárias regionalizadas foram ‘um tiro certeiro’ do Conselho Nacional do Brasil, encurtando distâncias, facilitando o nosso trabalho, além de nos dar oportunidades para
discutirmos os problemas locais da região, facilitando com que consigamos resolver as questões com mais brevidade. Parabéns para o CNB por esta ideia que foi fantástica” – consócia Conceição Marques, vice-presidente da Região VI (que engloba os Conselhos Metropolitanos de João Pessoa, Olinda e Recife, Maceió e Bahia e Sergipe)

 

“Os encontros regionais são uma importante oportunidade de fazermos uma avaliação do trabalho que vem sendo desenvolvido na Região, identificando nossos pontos fracos, e buscando alternativas para tornar nosso trabalho cada vez mais efetivo junto aos nossos Mestres e Senhores” – confrade Geraldo Monteiro, vice-presidente da Região VII (que engloba os Conselhos Metropolitanos de Belém, Teresina e Fortaleza)

 

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY