Relíquia de Ozanam será depositada em altar de capela

0
955
Capela dedicada a Ozanam, na área do Cm Anápolis (GO)

Moradores do Lar São Vicente de Paulo em Anápolis (GO), funcionários da Obra, vicentinos e a comunidades estão ansiosos para a chegada deste sábado (23). Às 16h, acontecerá um momento muito importante para a história da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) local. O padre Eli conduzirá o rito de Dedicação da capela, que funciona dentro da instituição e recebe o nome de Bem-Aventurado Antonio Frederico Ozanam e Nossa Senhora da Boa Viagem.

A Dedicação acontece quando a construção de uma igreja ou capela chega ao fim. É conhecida também como consagração, sagração ou inauguração, marcando a vida daquele templo religioso. Durante o rito, ocorre a aspersão de água benta, as unções do altar e das paredes do edifício, a incensação, iluminação, o rito da Palavra e da Eucaristia, e a deposição das relíquias no altar.

No caso da capela goiana, o confrade Renato Lima de Oliveira (presidente internacional da SSVP) doou pedaço de tecido de uma roupa usada por Ozanam para que possa ser depositada no local, conta o confrade Gildo Arantes Pereira, presidente do Lar e membro da Conferência São Miguel Arcanjo.

A capela comporta cerca de 300 pessoas sentadas. A construção do templo começou há 20 anos, mas uma tragédia paralisou as obras, que foram retomadas há 3 anos.

Frei morre durante construção da capela

A capela do Bem-aventurado Antonio Frederico Ozanam e Nossa Senhora da Boa Viagem era um sonho do Frei Eugênio. Ele foi vicentino antes de ingressar no seminário, por isso, tanto amor ao fundador da SSVP e aos idosos asilados.

Durante a construção, Frei Eugênio trabalhou incansavelmente no projeto: levantando recursos, mobilizando a comunidade e colocando as ‘mãos à obra’. Ele ajudava como pedreiro. Foi num dia desses que ao levar tijolos de uma extremidade a outra, o andaime que ele passava caiu, e o Frei morreu.

HONRA A OZANAM

 Segundo o presidente do Lar, a homenagem a Ozanam vem suscitar entre os vicentinos a devoção ao principal fundador da SSVP. “Queremos que seja um espaço de muita oração pela causa da canonização”, comenta o confrade Gildo.

A capela vai abrigar todos os sábados, às 19h, a celebração da Santa Missa, que é aberta à comunidade. Já uma vez por mês, ocorrerá a Missa do Enfermos, apenas para os idosos asilados e assistidos doentes da SSVP.

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

 

 

 

 

 

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY