Projeto vicentino tira três jovens da prostituição

0

 

Para sustentar filhos, ajudar a família e pagar dívidas, três mulheres (os nomes delas serão preservados) encontraram na prostituição o meio mais rápido de ganhar dinheiro. A vida, até então, não tinha dado a elas uma oportunidade de mudar e ter um trabalho do qual pudessem se orgulhar.

As três jovens – entre 20 e 35 anos – moram na cidade de Resende (RJ), área do Conselho Metropolitano de Volta Redonda. Na cidade funciona a Conferência Nossa Senhora da Piedade e, é graças ao esforço dos membros da Unidade Vicentina, que as mulheres tiveram uma chance se tornaram, desde o ano passado, ex-prostitutas.

A Conferência começou a assisti-las. Durante as visitas, os vicentinos perceberam que as três tinham aptidões para trabalhar com cabelos afros, fazendo tranças, rastafáris e a colocação de apliques. Era o primeiro passo para tirar as meninas do caminho da prostituição.

No entanto, para que a iniciativa desse certo, seria necessário montar um salão de beleza. Os membros da Conferência não tinham o dinheiro para o investimento, mas em momento algum pensavam em desistir de dar uma vida digna para as garotas. Nessa época, foram abertas as inscrições para os Projetos Sociais do Conselho Nacional do Brasil, que financia ações de Mudança de Estruturas (promoção social).

O projeto do salão de beleza para cabelos afros foi inscrito e contemplado. Com R$1.045, foi possível mudar as vidas delas. “Eram meninas que não tinham perspectiva de vida e de futuro e agora têm. É uma vitória da Conferência e uma motivação para as demais Unidades Vicentinas da nossa região trabalharem pela Mudança de Estruturas”, descreve a consócia Lúcia Helena Correa de Barros, presidente do Conselho Central de Resende.

Ao ver os resultados, Lúcia passou a acreditar ainda mais nos Projetos Sociais. “A cesta que entregamos é importante, no entanto, ela é um trabalho paliativo. Precisamos de ações efetivas, a exemplo dos Projetos Sociais, para que consigamos mudar de verdade as vidas de nossos assistidos”, encerra.

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

 

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta