Desabamento do prédio em SP e vicentinos. Qual a relação?

0
166
Imagem de internet do momento quando o prédio pegou fogo. Em seguida, ele desmoronou

Quem responde à pergunta acima é padre Joelson Sotem (Congregação da Missão-CM), coordenador nacional da Família Vicentina, em artigo exclusivo feito para o site SSVPBRASIL.

TRAGÉDIA. Um prédio de 24 andares pegou fogo e desabou na região do Largo do Paissandu, no centro de São Paulo, na madrugada do último dia 1º de maio. O local era uma ocupação irregular, e moradores afirmam que o fogo começou por volta da 1h30 no 5º andar e se espalhou rapidamente pela estrutura.

Ao menos uma pessoa morreu e os bombeiros buscam por mais sete em meio aos escombros.

Muitos dos ex-moradores do prédio que desmoronou continuam acampados no Largo do Paissandu.

A seguir, a reflexão do padre Joelson:

O desabamento do prédio em São Paulo e os Sem-Teto

Padre Joelson Sotem
Padre Joelson Sotem

Enquanto escrevo este artigo para o site SSVPBRASIL, os bombeiros continuam seu heroico trabalho de busca nos escombros do edifício Wilton Paes de Almeida, no centro de São Paulo (SP).

Quando li a notícia sobre o incêndio do prédio e logo em seguida o seu desabamento, foi como se tivesse recebido a notícia de alguém muito próximo que foi ao médico e descobriu estar com uma grave doença.

O desabamento mostrou para o Brasil e para o mundo a ferida aberta da FALTA DE MORADIA em nosso país e as condições que o ser humano se submete a viver, para ter um teto sobre sua cabeça.

Depois do ocorrido, todos ficamos sabendo que existem centenas de prédios só em São Paulo nas mesmas condições e precariedades. Em outras grandes cidades não é diferente.

Boa parte dessas pessoas que “habitam” essas armadilhas são estrangeiros. Boa parte destas pessoas são mulheres e crianças. Mas são todos seres humanos, filhos e filhas de Deus.

Nosso Carisma Vicentino não nos isenta de lançarmos nosso olhar para esses Pobres. Somos sim convocados para estender nossas mãos para este rosto de pobreza presente em nosso país.

Segundo a ONU no seu mais recente levantamento, estima-se que 1,2 bilhões de pessoas no mundo estão sem moradia. E que infelizmente este número tende a aumentar.

Em 2016, nos motivando para os 400 anos do Carisma Vicentino, o padre Gregory Gay – Superior Geral da Congregação da Missão – já nos alertava: “São muitos os refugiados que fogem da opressão e da pobreza; os desabrigados em suas cidades devido a guerras civis; os migrantes que buscam uma vida nova; os sem-teto; os enfermos físicos ou mentais; aqueles que sofrem discriminação por sua fé, raça ou cor; o jovem ou o ancião solitário e vulnerável. Muitas destas pessoas e situações já estão familiarizadas com o trabalho dos membros da Família Vicentina em nível global”.

E durante o Simpósio Vicentino em Roma, outubro de 2017, foi apresentado como gesto concreto dos 400 anos, o projeto ALIANÇA DA FAMÍLIA VICENTINA PARA OS SEM-TETO. Você pode conferir mais informações e detalhes por meio do site: http://vfhomelessalliance.org/.

Este projeto está intimamente ligado à ideia de COLABORAÇÃO e MUDANÇA SISTÊMICA que tem nos orientado em nossa prática caritativa. De modo particular, quando falamos de Mudança Sistêmica, falamos do que estava no coração de Frederico Ozanam. Que além da capacidade de servirmos aos Pobres, pratiquemos a justiça como oportunidade de mudar o sistema que os maltrata.

Enfim! A triste notícia do desabamento desse prédio no centro da maior cidade de nosso país escancara esta ferida aberta dos sem-teto, daqueles que não têm moradia. E nós, Família Vicentina, somos convocados a refletir, planejar e atuar para curar esta ferida que não só maltrata, mas que também mata nossos Mestres e Senhores.

Padre Joelson Cezar Sotem (Congregação da Missão-CM)

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY