As “parábolas da misericórdia” na Bíblia falam-nos do amor de Deus que nos desconcerta: A Ovelha Perdida (Lc 15, 3-7), a Moeda Perdida (Lc 15, 8-10) e o Filho Pródigo (Lc 15, 11-32).

Este amor muitas vezes não cabe dentro dos esquemas humanos de comportamento. Consiste numa proposta de atitude que nos convida a imitar o modo divino de agir. Temos que desconcertar o egoísmo do mundo, a exemplo do Pai.  Como um pastor zeloso por seu rebanho, Deus está interessado em cada ser humano, especialmente em quem se afastou Dele diante das limitações, quedas e fragilidades da vida. Ele vai em busca de quem se perde, pois sua atenção se volta para quem se encontra em situações de exclusão e abandono. E o reencontro é motivo de imensa alegria! Como a mulher que vai à procura da moedinha perdida, olha todos os cantos da casa e se alegra quando a encontra. Deus exulta quando um pecador se converte. O Pai misericordioso coloca a mais total confiança na pessoa humana, e jamais perde a esperança de que ela possa retomar o bom caminho. Também se recusa a condenar, desdobrando-se em interesse pelo filho pródigo. Só descansa ao vê-lo retornar à casa paterna.

A grandeza do amor divino é um convite a todos vicentinos que buscam incansavelmente servir aos Pobres. Deus não suporta ver um só de seus filhos longe de seu coração. Por isso, se amamos verdadeiramente os Pobres, precisamos sofrer juntos com Eles. Sentir suas dores. Mas um sofrimento que nos faz amá-Los cada vez mais, porque são para nós o próprio Cristo.

Buscamos um amor desconcertante que promove a vida e restabelece a dignidade de tantos que estão em situação de pobreza. O coração do vicentino é um coração generoso, porque na Rede de Caridade busca sempre servir seus Mestres e Senhores: “Amar e servir Jesus Cristo nos Pobres é a resposta de amor de cada vicentino!”

Que continuemos dando o nosso ‘Sim’ a Cristo, que nos amou primeiro e que precisa de cada um de nós para dizer com palavras, gestos e obras aos Pobres, que somos verdadeiramente apaixonados por Eles! Eis um amor que desconcerta, mas que é capaz de gerar vida e vida em abundância!

 

Padre Alexandre Nahass Franco (Congregação da Missão-CM)

Assessor Espiritual do CNB

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta