Hospital vicentino pode receber certificado com ajuda de empresa voluntária

0
7
A enfermeira Gilmara Targa ministra curso para a equipe do hospital

A ajuda destinada à Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) pode ser de diversas formas: doação de alimentos, recursos financeiros, trabalho voluntário, dentre outras. No interior de São Paulo, a empresa Gente&Gestão contribui com a entidade de uma forma inovadora. Ela vem qualificando a equipe do Hospital São Vicente de Paulo, na cidade de Tanabi, para que a unidade hospitalar pleiteie e consiga o certificado da Organização Nacional de Acreditação (ONA).

Confrade Silvio Fieno
Confrade Silvio Fieno

O certificado ONA mostra que o Hospital atende aos critérios de segurança tanto para pacientes, visitantes, funcionários e corpo clínico. “No Brasil, temos perto de 7 mil hospitais entre públicos e privados. Pouco mais de 300 deles têm a acreditação. É como se aquele hospital ganhasse a Copa do mundo saber que todos os procedimentos estão dentro das conformidades”, explica o diretor executivo da Gente&Gestão, Silvio Fieno.

A doação do serviço para o Hospital de Tanabi, Obra Unida da SSVP na área do Conselho Metropolitano de São José do Rio Preto (SP), está relacionada ao fato de que Silvio também é vicentino, membro da Conferência Nossa Senhora Aparecida, em Sertãozinho. “Na condição de vicentino, o que eu ganho é o prazer de poder realizar. É muito recompensador saber que estou dentro de uma Obra à qual eu amo e admiro, podendo contribuir com ela”.

Durante um ano e meio, a equipe da unidade hospitalar será qualificada com a ajuda da enfermeira Gilmara Targa Neves. Uma das primeiras etapas, foi a aplicação de um curso para o comitê, formado por três membros da diretoria e 10 funcionários do Hospital, que também vão contribuir com os processos. Ao final, um auditor será chamado e avalizará se o Hospital poderá receber a certificação.

Com a acreditação ONA, a unidade hospitalar passa a ser valorizada pelos pacientes, acompanhantes, funcionários e parceiros. Estes últimos, por exemplo, pagam uma remuneração maior para as instituições certificadas. “Todos os que usam o serviço do SUS terão um atendimento muito diferenciado, não só pela humanização, mas pelos processos de atendimento. Isso quer dizer que estaremos dentro de um patamar de qualificação de nível nacional e até internacional”, conclui Silvio.

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY