Discussões sobre humanização da comunicação marcam segundo dia do Encom

0
319
O produtor de TV Anderson Müller explica sobre a importância do vídeo

Os comunicadores vicentinos não devem apenas lançar conteúdos à revelia nos meios de comunicação. Eles precisam verificar se as mensagens publicadas têm interesse público, geram resultados para a Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) e, principalmente, se as pessoas que recebem este material estão sendo de alguma forma impactadas positivamente por eles. “Nós não somos robôs produzindo materiais para outros robôs; nem, tampouco, criamos conteúdo para nós, mas para o público. Portanto, precisamos conhecer as pessoas para as quais vamos comunicar e criar estratégias eficientes de gerar conteúdos que satisfaçam o nosso público”, defendeu Alberes Junior, publicitário da Editora Santuário.

A humanização nos processos comunicacionais pautou boa parte das formações deste segundo dia do Encontro de Comunicação (Encom) da SSVP, que começou ontem (2) no Lar Bussocaba, em Osasco (região metropolitana de São Paulo).

Como exemplo do avanço da Igreja em reconhecer que a comunicação precisa ser humanizada, Alberes Junior citou o próprio Papa Francisco. “Ele fala a língua do povo; do jeito que o povo quer ouvir. Sabe como ninguém se adaptar às diversas linguagens”, se refere ao Sumo Pontífice.

Anderson Müller, MBA em gestão de Marketing Digital e produtor de TV, acredita que o importante diferencial da mídia hoje é ser uma via de mão dupla, ou seja, tanto quem repassa a mensagem e quanto quem recebe têm a oportunidade de se interagir. “Todas as pessoas têm voz. Antes, os meios de divulgação publicavam e pronto. Hoje é diferente. O público pode comentar, acrescentar informações… Ele está envolvido no processo”.

Ao analisar o cenário comunicacional da Sociedade de São Vicente de Paulo, Müller defende que todos os meios de comunicação podem ser utilizados, no entanto, segundo ele, a rede social Facebook é uma aliada importante, devido à gratuidade e por reunir o maior número de pessoas.

Para quem quer criar uma página para Conferência ou Conselho, o especialista recomenda. “Publique conteúdos relevantes, encante as pessoas contando histórias e interaja com o seu público”.

IMPRESSOS E VÍDEOS

Os cerca de 70 participantes do Encom também tiveram a oportunidade de conhecer melhor sobre os materiais gráficos disponíveis no mercado e que podem ser utilizados em favor da comunicação vicentina.

Segundo o designer gráfico Rafael Domiciano, um dos responsáveis pela equipe de criação da Editora Santuário, apesar do ‘boom’ das redes sociais, 60% da comunicação feita hoje ainda é por impressos (jornais, revistas, banners etc).

O produtor de TV Anderson Müller ainda incentivou os vicentinos que usem cada vez mais da tecnologia na produção de vídeos. Segundo estimativas apresentadas por ele, até 2020, 82% do tráfego da internet será feito por expectadores de vídeo. “Não precisam ser grandes produções. Os vídeos devem ser pequenos, objetivos, mas com mensagens que encantem e emocionem o público”.

EM FAVOR DA CARIDADE

O confrade Cristian Reis da Luz (presidente nacional da SSVP) participa do Encom 2018. Ele relembrou que o principal fundador da instituição, confrade Antonio Frederico Ozanam, foi um jornalista, engajado em divulgar a causa dos Pobres. Pediu que os vicentinos se espelhem em Ozanam e aproveitem para levar a biografia do fundador a conhecimento de todos, contribuindo de forma eficaz com a canonização do bem-aventurado.

O presidente também recomendou. “Que nossa rede de comunicação seja a rede de caridade para servir nossos Mestres e Senhores, os Pobres”.

A última formação do dia foi com a jornalista Tatielle Oliveira, que orientou os comunicadores como se relacionarem com a mídia.

ABERTURA

Celebração da Santa Missa de Finados

A abertura do X Encom aconteceu ontem (2), com a celebração da Santa Missa de Finados. Na homilia, padre Alexandre Nahass Franco (Congregação da Missão-CM), assessor Espiritual do Conselho Nacional do Brasil (CNB), disse palavras de conforto e motivação a quem perdeu um ente querido. “A morte é passagem para a vida eterna. As pessoas que perdemos não são nossas; elas foram emprestadas a Deus por nós para serem cuidadas e amadas temporariamente e, quando morrem, retornam a Deus”.

Após a Missa, o diretor nacional de Comunicação, confrade Samuel Godoy, disse que pensou a programação do Encom de forma a conduzir os comunicadores vicentinos aos caminhos do anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, principalmente nas questões que se referem à luta pela dignidade dos Pobres, e que aproximem os homens e mulheres dos preceitos cristãos.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY