Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação

0

Hoje é o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, quando o Papa Francisco propõe um momento importante para renovar a nossa participação pessoal na vocação de cuidadores da criação, elevando a Deus o nosso agradecimento pelas obras maravilhosas que Ele confiou aos nossos cuidados, pedindo ajuda ao Deus Criador para a proteção da criação e a sua misericórdia diante dos pecados sociais cometidos contra o mundo onde vivemos.

A preciosa Encíclica ecológica do Papa Francisco “Laudato si” recorda que a terra “se pode comparar ora a uma irmã, com quem partilhamos a existência, ora a uma mãe, que nos acolhe nos seus braços”. Mas sabemos que a terra está sendo maltratada e saqueada e os seus gemidos se unem aos clamores de todos os abandonados do mundo. Com esta Encíclica, o Papa nos convida a ouvir esses gemidos e clamores, exortando todos a uma “conversão ecológica”, a “mudar de rumo”, assumindo a responsabilidade de um compromisso para o “cuidado da casa comum”. E, consequentemente, o cuidado com a criação.

Enfrentamos muitos desafios hoje, como as mudanças climáticas, a questão da água, a crise ecológica e as mudanças nos estilos de vida. Por isso, o Papa nos convoca para uma ecologia integral como um novo modo de justiça, ou seja, uma ecologia “que integre o lugar específico que o ser humano ocupa neste mundo e as suas relações com a realidade que o circunda”. A crise ecológica é um apelo para uma profunda conversão interior. Pode-se necessitar de pouco e viver muito.

Neste sentido, os vicentinos são convidados também a ter “Um Olhar de Caridade” para criação. Nossas Conferências poderão ser um espaço de reflexão e partilha sobre os cuidados que devemos ter com o Planeta Terra e com a Criação. Pequenas iniciativas podem ser realizadas, dentre elas, a educação ambiental; a valorização e o cuidado com a água; como fazer a reciclagem do que é considerado lixo; evitar o desperdício da alimentação; o plantio de árvores e tantas outras atividades que podem se tornar verdadeiras campanhas em nossas Unidades Vicentinas.

Os vicentinos devem conscientizar, inclusive, as famílias assistidas, de que a natureza, antes de tudo, é um presente que recebemos do Criador, e como todo “dom” traz em si uma tarefa: é necessário preservar a obra de Deus. O problema é que só lembramo-nos disso quando algo de errado acontece. Por exemplo, quando nos deparamos com a seca em algumas regiões do Brasil é que pensamos em ter mais cuidado com o uso da água.

Precisamos tomar consciência de que o planeta nos pertence, e termos atitudes de verdadeiros guardiões diante de seus recursos.

O Papa Francisco, falando a respeito da Criação do mundo durante uma de suas celebrações, afirmou que preservar a Criação e ter zelo pela natureza é tarefa dos cristãos e não somente dos ecologistas: “Quando ouvimos falar que as pessoas se reúnem para pensar em como proteger a Criação, podemos dizer: ‘Mas são ecologistas?’ Não, não são ecologistas! Isso é ser cristão! Um cristão que não preserva a Criação, que não a faz crescer, é um cristão que não se importa com o trabalho de Deus, aquele trabalho que nasceu do amor Dele por nós”.

Portanto, defender a natureza e agir com responsabilidade na preservação de seus recursos vai além do papel dos ecologistas. Também é missão da Igreja e dever de todos nós, vicentinos! Não podemos esquecer que, para vivermos bem, é preciso que a natureza também viva, e cuidar dos recursos que ela nos oferece é uma forma de agradecermos a Deus, que pensou em nós e nos deu de presente toda a criação.

Esta Oração para a Mudança de Estruturas reflete muito bem o Zelo e o Cuidado da Família Vicentina, a partir do seu Carisma, com a Criação. Que possamos rezá-la no dia de hoje:

“Nós vos louvamos e vos agradecemos, ó Deus, Criador do Universo.
Fizestes boas todas as coisas e nos destes a terra para que a cultivássemos.
Fazei que saibamos usar sempre agradecidamente as coisas criadas e partilhá-las generosamente com todos os necessitados.
Dai-nos criatividade ao ajudar os Pobres em suas necessidades humanas básicas.
Abri nossas mentes e nossos corações para que possamos ficar ao lado deles e ajudá-los a mudar as estruturas injustas que os mantêm na pobreza.
Fazei que sejamos irmãos e irmãs para com eles, amigos que caminham com eles em suas lutas pelos direitos humanos fundamentais.
Nós vo-lo pedimos por Jesus Cristo Nosso Senhor.
Amém.”

Padre Alexandre Nahass Franco
Assessor espiritual do Conselho Nacional do Brasil da SSVP.

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta