CCA é show no serviço eficiente prestado aos Pobres

0
871

O serviço vicentino desempenhado pelas pessoas em situação de vulnerabilidade social não é praticado apenas por adultos. Há crianças e adolescentes também militando em favor da causa. Eles participam de Conferências Mirins, denominadas Conferências de Crianças e Adolescentes (CCAs). O trabalho é bem similar ao desenvolvido pelas Unidades Vicentinas frequentadas por membros com a maior idade.

O trabalho da CCA é acompanhado por um orientador vicentino e subordinado aos coordenadores de Conselhos, responsáveis por repassarem orientações para que as atividades tenham êxito. Hoje, os coordenadores de Conferências de Crianças e Adolescentes dos Conselhos Metropolitanos no Brasil estão reunidos em Osasco, região metropolitana de São Paulo, para uma capacitação nacional.

Acontece o 11º Encontro de Coordenadores de Conferências de Crianças e Adolescentes, com o tema ‘CCA em missão para servir nossos Mestres e Senhores’, e lema: “Pois aquele que se tornar pequeno e simples como esta criança será como o maior de todos no Reino dos Céus”.

As atividades foram iniciadas ontem à noite (28), Dia do Sagrado Coração de Jesus, pedindo a Ele que não deixe faltar motivação, discernimento e sabedoria para todos os orientadores e coordenadores de Conferências de Crianças e Adolescentes do Brasil.

Na manhã deste sábado, a consócia Maria do Céu Galvão – coordenadora nacional de CCA – teve um bate-papo com os cerca de cem participantes, representando todos os Conselhos Metropolitanos do país. Ela pediu o engajamento dos coordenadores. “O trabalho das CCAs deve ser entusiástico. Devemos acreditar na capacidade de fazer as coisas acontecerem, darem certo… Não espere as condições ideais para se entusiasmar. Nós é quem temos que transformar nossas atitudes em ações entusiásticas”.

Há um slogan muito conhecido do Departamento, em que os membros gritam ‘CCA é show’. Sobre ele, Maria do Céu faz uma observação. “Nós não podemos ser só um show nas apresentações artísticas que fazemos. CCA é show de informação, continuidade da SSVP, criatividade e no serviço prestado aos Pobres”.

CÍRCULO DA PAZ

Momento da dinâmica

Uma das dinâmicas do evento, que inclusive pode ser adotada nas Unidades Vicentinas, é o Círculo da Paz. A metodologia é feita por meio de uma roda de conversa, em que todos ficam em mesmo nível de igualdade, dando vez e voz para cada um falar o que veem do coração

O método é utilizado pelas tribos americanas para resolverem os problemas. O Círculo da Paz se torna útil para resolver possíveis divergências dentro da SSVP. Com respeito e caridade, os membros devem sentar e conversar, lembrando que tudo converge para uma causa comum: a formação da rede de caridade sonhada por Ozanam, com o propósito de minimizar a injustiça social presente no Brasil.

Na pauta, os participantes refletiram sobre como melhor trabalhar com as CCAs do Brasil. Cada um teve a chance de expressar o que pensa sobre o assunto.

O evento tem cerca de cem participantes

CUIDADO

Os coordenadores e orientadores cuidam das crianças e adolescentes. E quem cuida deles? A consócia e psicóloga Ada Ferreira desenvolveu uma formação sobre o tema, explicando que para fazerem um bom trabalho, eles precisam estar bem. “Nós entramos em casas que a sociedade civil nem sempre entra. Mas para fazer uma visita, eu preciso estar bem internamente para que minhas palavras reflitam o meu estado psicológico”.

Ela deu dicas aos vicentinos de como eles podem buscar bem-estar.

REDES SOCIAIS

As redes sociais são uma realidade atual e muito presente no dia a dia de crianças e adolescentes. Como forma de orientar os coordenadores de CCA a terem uma postura adequada diante delas, bem como não exporem os menores de forma errada, o confrade Samuel Godoy – diretor de Comunicação da SSVP – foi o responsável por uma formação sobre o tema.

Dentre as questões abordadas, Samuel Godoy alertou aos coordenadores a também ficarem atentos ao que as crianças e adolescentes publicam, observando se elas podem estar envolvidas com jogos perigosos.

Pediu ainda que os vicentinos ajam com caridade na internet, jamais divulgando inverdades. “Cuide do conteúdo que compartilha”, aconselha.

Ex membro de CCA entra para o CGI

A história do confrade Willian Alves mostra os frutos que as Conferências de Crianças e Adolescentes podem dar. Ele ingressou na SSVP por meio de uma CCA e, atualmente, é o vice-presidente internacional para a Juventude, Crianças e Adolescentes.

Willian aposta que o sucesso de uma CCA perpassa pela qualificação dos orientadores para os trabalhos. “Se você não quer qualquer vicentino, não pode escolher qualquer orientador, ou seja, para formar bons vicentinos, precisamos de bons orientadores”.

O vice-presidente sugere ainda que as CCAs busquem trabalhar em parceria com as catequeses. O catequista deve ensinar os conceitos bíblicos às crianças e adolescentes, já o orientador, deve formar as crianças e adolescentes para a prática da caridade organizada desenvolvida em favor dos Pobres.

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY