BRUMADINHO: consócia acredita que São Vicente e Ozanam livraram filho dela

0
7002
Consócia Geralda e o Filho, que poderia estar na cena da tragédia

A devoção inabalável em São Vicente de Paulo e no bem-aventurado Antonio Frederico Ozanam sempre deu sinais de luz e esperança na vida da consócia Geralda Conceição Domingues (61), membro da Conferência Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Brumadinho (MG). O marido dela foi assistido  pelos vicentinos, seguidores de Vicente e Ozanam. No decorrer dos anos, muitas graças por intercessão de ambos foram concedidas a ela. A mais recente aconteceu na sexta (25), com o livramento que o filho teve porque não estava na Vale quando o rompimento de uma barragem provocou destruição, mortes e desparecimentos de pessoas.

Marcos André da Silva Domingues (26) trabalha na empresa e, provavelmente, teria sido atingido ou na parte administrativa ou no refeitório no momento que a avalanche de lama devastou o local. De última hora, Marcos ganhou uma folga na sexta-feira. “Eu tenho certeza de que São Vicente e Ozanam cuidaram de meu filho para que não fosse mais uma vítima desta tragédia”, assegura a consócia Geralda. Apesar do alívio, o sentimento não é de alegria. Isso porque como a cidade é pequena, sempre tem um parente ou amigo entre os mortos ou desaparecidos.

Pouco antes de conceder esta entrevista, ela tinha ido ao velório de um vizinho.

 

Tragédia atingiu ao menos 1% da população de Brumadinho

A lama dificulta a busca por corpos e sobreviventes

A população de Brumadinho tem em torno de 34 mil habitantes. Como são mais de 300 desaparecidos e 58 mortos confirmados, estima-se que a tragédia atingiu cerca de 1% da população. Por causa da ausência de uma lista oficial e muitas informações desencontradas, o que se pode afirmar até o momento é que deste montante, ao menos, três vítimas têm relação com a Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP).

Uma das vítimas é Moisés Moreira Sales. Ele era vicentino, mas estava afastado da Conferência. O corpo de Moisés foi encontrado e enterrado ontem (27). “Que tristeza. A família estava inconsolável”, descreve o confrade Wesley Raimundo Ribeiro, presidente do Conselho Metropolitano de Contagem e morador de Brumadinho. Ele participou do velório.

Estão oficialmente desaparecidos os confrades Ramon Júnior e Edimar da Conceição Sales Melo.

 

Ação vicentina no momento é de apoio às vítimas

 

De acordo com a consócia Maria Zita da Silva, segunda vice-presidente e coordenadora do Denor do Conselho Central de Brumadinho, no momento, as doações que já foram feitas em gêneros alimentícios e roupas são suficientes para suprir as necessidades das vítimas. O trabalho dos vicentinos locais tem sido de dar apoio emocional e espiritual às famílias com parentes mortos ou desaparecidos.

Maria Zita relata que muitas Unidades Vicentinas procuram o Central querendo fazer doações em dinheiro. Este valor ficará guardado para uma necessidade futura. “Sabemos que daqui a um tempo, quando a mídia deixar de noticiar, todo mundo esquece e a necessidade aparece. É neste momento que entram os vicentinos. Porque a nossa ajuda não é em uma situação só. O nosso trabalho é constante”.

A consócia Zita está temerosa quanto ao futuro de Brumadinho, já que a economia local gira em torno da mineração. “Sabemos que teremos dias ainda muito difíceis pela frente, por isso, pedimos orações de todos os vicentinos brasileiros”.

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY