Assessor Espiritual do CNB explica a importância do Mês Vocacional

0
314

Toda a Igreja Católica celebra em agosto o Mês Vocacional, seguindo a proposta da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O objetivo é incentivar que os fiéis rezem pelas vocações, suscitando em meio ao povo pessoas dispostas a trabalhar pela Igreja, sejam elas: crianças, jovens e adultas. O tema da celebração deste ano  é “Misericordiosos como o Pai”, em sintonia com o Ano Santo da Misericórdia.

VOCAÇÃO

A palavra vocação deriva do verbo latino vocare, que significa chamar, e tem como raiz vox (voz). “Assim, vocação é chamado, uma voz dirigida a alguém. Chamado que parte de uma pessoa em direção a outrem. Não é simplesmente habilidade ou aptidão para se fazer algo; é um chamado que, à luz da fé, parte de Deus, que atrai misteriosamente todos os homens e mulheres para si”, explica o padre Alexandre Nahass Franco (Congregação da Missão), assessor Espiritual do Conselho Nacional do Brasil (CNB).

Para ilustrar o que disse, padre Alexandre relembra o trecho bíblico em que Jesus chamou os discípulos para proclamarem a Palavra de Deus à sociedade. “Ao passar pela beira do mar da Galileia, Jesus viu Simão e seu irmão André, que estavam jogando a rede ao mar, pois eram pescadores. Jesus disse a eles: ‘Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens’. Imediatamente deixaram as redes e seguiram a Jesus. Caminhando mais um pouco, Jesus viu Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes. Jesus logo os chamou. E eles deixaram seu pai Zebedeu na barca com os empregados e partiram, seguindo a Jesus” (Mc 1,16-20). Sobre o Evangelho, o assessor Espiritual complementa. “Falar em vocação nos remete diretamente à experiência de Jesus com seus discípulos. Sua palavra, proclamada à beira do mar da Galileia, tocou profundamente o coração daqueles pescadores e exigiu-lhes claramente a retomada de suas vidas. O Evangelho não deixa dúvidas: a palavra de Jesus, seu jeito de viver e de se aproximar, tocava diretamente o coração das pessoas, levando-as a responderem a sua provocação. Impossível era ficar indiferente diante do Senhor”.

CONTEXTO ATUAL

Segundo o padre, o chamado à vocação de Jesus deve ser amplamente difundido nos dias atuais. “O Senhor continua chamando e aguardando pessoas disponíveis e generosas que sejam capazes de responder positivamente. Diante dele, é preciso coragem e audácia, discernimento e sensatez para que a resposta humana não seja imatura nem deslocada da realidade concreta, mas uma resposta fundamentada em um processo pessoal e fecundo de convencimento e discernimento, feito à luz da Palavra de Jesus e em comunhão com a Igreja, que é seu Corpo Místico”.

VOCAÇÃO E FAMÍLIA VICENTINA

“Os vicentinos devem promover uma cultura vocacional em suas Unidades Vicentinas, mostrando que é possível servir aos Pobres na Família Vicentina em seus diversos Ramos, sejam como leigos, consagrados, consagradas e padres. Por isso, é um momento importante para a promoção vocacional em nossas Conferências Vicentinas. Precisamos aproveitar nossos encontros e reuniões para rezarmos pelas vocações para que o Senhor da Messe envie numerosas vocações, e ainda provocar nossos adolescentes e jovens para que respondam com generosidade ao chamado de Deus”, pede o assessor Espiritual do CNB.

RELAÇÃO COM O ANO DA MISERICÓRDIA

Ao definir “Misericordiosos como o Pai” o tema do Mês das Vocações, a Igreja quer refletir que toda vocação é fruto da misericórdia divina, acrescenta padre Alexandre: “É fruto do olhar misericordioso de Jesus; é dom de Deus para a Igreja. Aliás, como enfatiza o papa Francisco, toda vocação nasce, cresce e é sustentada pela Igreja. Portanto, queremos neste mês de agosto rezar constantemente para que as vocações na Igreja e na Família Vicentina tenham a marca profunda da Misericórdia de Deus, sobretudo com todos aqueles que estão em situação de pobreza. Ser um vocacionado é ser uma pessoa misericordiosa! Nenhuma missão acontece sem a experiência de Misericórdia!”, conclui.

Confira a seguir, os temas que devem ser rezados nos próximos domingos para que todos os que são chamados por Deus tenham o reflexo da Misericórdia Dele:

7 de agosto – Vocação ministério ordenado: diáconos, padres e bispos.
14 de agosto – Vocação matrimonial.
21 de agosto – Vocação à vida consagrada.
28 de agosto – Vocação dos leigos.

Oração pelas vocações na Família Vicentina:

Pai providente e misericordioso, nós vos louvamos e agradecemos, porque sempre nos chamais a participar de vossa vida e de vossa santidade. Fazei ressoar em toda a Família Vicentina esse vosso ardente chamado de amor. Em vossas mãos, depositamos confiantes nossos esforços na vivência da fé, no cultivo da fraternidade e na construção de vosso Reino de justiça e paz.

Senhor Jesus Cristo, que viestes para evangelizar e servir os pobres, como discípulos-missionários, queremos seguir vossos passos, atentos à vontade do Pai, comprometidos com a Comunidade e solidários com os irmãos mais necessitados. Ajudai-nos a permanecer firmes na fé, alegres na esperança, solícitos na caridade, generosos na missão, para que o mundo creia na verdade do vosso amor.

Espírito Santo, que nos tornais continuadores da missão de Jesus e enriqueceis a Igreja com muitos dons para o serviço da humanidade, tornai fecundo o empenho de todos os membros da Família Vicentina – Leigos e Leigas, Irmãs, Padres e Irmãos – concedei-lhes sabedoria e inspirai-lhes palavras e ações para confortar e animar a todos no compromisso com o Evangelho da vida e da esperança.

Trindade Santa, fazei que produzamos os frutos que esperais, na Caridade e na Missão, firmando nossos pés no caminho que conduz a vós, fonte e meta de nossa vida de peregrinos. É o que vos pedimos, com Maria, a Senhora das Graças, e com São Vicente, o irmão dos pobres. Amém.

FONTE: DA REDAÇÃO DO SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY